sexta-feira, setembro 23, 2016

Amigos, esta segunda-feira vamos (tentar) debater com os promotores do projecto Life+ Berlengas.

Compareçam e façam ouvir a vossa voz, seja de apoio ou de repudio.




segunda-feira, agosto 15, 2016

O crime continua impune!

Aproxima-se um momento crítico que urge combater, quer pela opinião pública quer pela justiça. Por este título retirado do projecto Life Berlengas, pode ver-se como se procurou e conseguiu enganar quem concede financiamentos: Nunca, ao longo de todo o projecto e nas justificações para a sua apresentação, há qualquer referência a estudos realizados na Berlenga sobre a predação dos mamíferos (coelhinho, viraste carnívoro).
Um embuste que está a colocar em causa a estabilidade de um ecossistema. A referência a Thibault (1995) cai do céu aqui e para um incauto até parece que se está a referir à Berlenga.
Tudo se resume a uma frase: "vamos actuar na Berlenga antes que haja problemas, como noutras ilhas do mundo, apesar de ainda não haver na Berlenga!" Como é que se pode ter descido a este nível e o ICNF ser conivente? A quem entregámos a gestão da nossa biodiversidade, Senhor Ministro?

sexta-feira, outubro 23, 2015

O rato-preto e a genética

Ora boa noite!

Estava eu ontem a conversar com quem também se preocupa com o que querem fazer à Berlenga, quando me sopram o seguinte: "mas se os estudos de DNA que dizem que andam a fazer demonstrarem que o rato-preto da Berlenga é igual ao do continente, já se podem matar todos, não é?"
Infelizmente ouvem-se coisas destas em jovens que estudam biologia.
Esclareçamos também a opinião pública para o seguinte, admitindo que estão a fazer estudos de DNA a sério: o que é de esperar, o que será NORMAL é que os DNA do rato da ilha e do continente não revelem nada de especial! Afinal o bicho só estará na ilha, no máximo, há 1700 anos, tempo manifestamente insuficiente para o isolamento genético ter feito das suas.
Repito, é o que se espera, e isso também a SPEA sabe e com isso quer jogar, pois se consegue iludir estudantes de biologia (finalistas) muito mais facilmente (julgam eles) ilude o cidadão comum ou um tribunal qualquer.
Perguntem à SPEA se está disposta a deixar que quem sabe faça estudos de etologia na população, onde aí sim será previsível obter dados importantes, até pelas observações existentes.
De qualquer forma, diferentes ou não, isso pouco importa: o que é verdadeiramente o cerne da questão é saber se o rato-preto está ou não a interferir com a população de pardela. Porque se não estiver, como aliás a SPEA afirma, contradizendo-se, tudo isto é um disparate dispendioso de que alguém vai ter que prestar contas.
E este é que me parece ser (É) o real problema...


sábado, agosto 29, 2015

Que cambada!

Depois de ver a Joana Andrade e o Pedro Geraldes a terem tempo de antena para dizerem ALDRABICES com um ar muito douto, pergunto que mais acontecerá! Caro Pedro, você tem coragem de se intitular biólogo e dizer que os estudos feitos NOUTROS locais do mundo são válidos para as Berlengas??? Que a erradicação que pretendem efectuar está fundamentada científicamente?? Ou é mesmo ignorante ou há algo que me escapa, porque ninguém se arrisca a ficar conhecido no mundo científico pelas asneiras que diz. Fica desde já desafiado para sustentar essas afirmações diante de uma plateia pública! Que pena no nosso país não ser preciso fazer exame à Ordem dos Biólogos para exercer a profissão - é que CHUMBAVA liminarmente. E Sr Ministro do Ambiente, que espera para ouvir quem SABE de biologia neste país?? Não leu o manifesto que lhe foi enviado? O ICNF está a fazer asneira da grossa e, à boa maneira portuguesa, não se tem coragem para arrepiar caminho para não ficar mal na fotografia!

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2015-08-29-Biologos-contra-projeto-europeu-que-preve-erradicacao-de-ratos-e-coelhos-nas-Berlengas